Audição Infantil

Dicas para o professor ajudar o aluno deficiente auditivo a aprender a ler

Avatar
Escrito por Luciana Garolla

Dicas para o professor ajudar o aluno deficiente auditivo a aprender a ler

Um número cada vez maior de crianças deficientes auditivas tem sido inserida na escola regular. Infelizmente, porém, somente essa conquista não garante o sucesso acadêmico. Mesmo com a significativa melhora na tecnologia de amplificação e acesso precoce a programas de reabilitação, crianças com deficiência auditiva continuam a apresentar dificuldades no ambiente escolar. A inclusão do deficiente auditivo é um processo que se estende muito além da simples decisão de colocar a criança em uma sala de aula comum. Ela exige acompanhamento contínuo e resoluções efetivas que garantam  que a criança com perda auditiva possa aprender e se desenvolver em seu potencial máximo.

A educação inclusiva prevê a elaboração de projetos pedagógicos, formação continuada e permanente dos professores,  mudanças na infraestrutura, acesso a recursos didáticos e implementação de políticas educacionais. E nesse processo o professor tem papel central no desenvolvimento escolar dessas crianças.

E para ajudar nesse processo tão complexo, abaixo seguem 10 dicas que o professor pode utilizar em sala de aula para ajudar seu aluno deficiente auditivo no aprendizado da leitura e escrita.

  1. Ministre suas aulas de forma natural. Não fale muito rápido nem muito lento. Também não há necessidade de gritar para se fazer ouvir pelo aluno deficiente auditivo. Se aproxime e fale em volume natural para facilitar o entendimento sempre que possível.
  2. Boa parte dos alunos com deficiência auditiva faz leitura labial. Portanto, facilite que eles vejam o seu rosto e boca. Evite falar de costas ou andar muito pela classe.
  3. De preferência, mantenha a porta da sala de aula fechada, para evitar ruídos externos. Também evite arrastar carteiras ou falar quando houver outros ruídos.
  4. Se o seu aluno usar apenas um aparelho auditivo ou se este for implantado unilateralmente, fale sempre do lado que tiver o aparelho/implante coclear.
  5. Procure entender e esclarecer as dúvidas do aluno. Tenha paciência se tiver que repetir algum conteúdo já dito anteriormente, pois ele pode não ter ouvido mesmo que tenha prestado atenção à aula.
  6. Quando quiser destacar alguma informação escreva-a na lousa, pois alunos com deficiência auditiva assimilam melhor o conteúdo por meios visuais.
  7. Em dinâmicas de grupo, sintetize o que foi dito pelos colegas que estiverem sentados longe do aluno com deficiência auditiva.
  8. Utilize o Sistema FM durante as aulas. Esse é um direito do estudante com deficiência auditiva. (O Sistema FM é a tecnologia assistiva de maior eficácia para uso com deficientes auditivos na escola e foi  incorporada  ao Programa de Saúde Auditiva, através da portaria nº 21 de 07 de maio de 2013).
  9. Forneça materiais alternativos ao aluno quando for utilizar recursos sonoros em sala, como áudios e vídeos (aos quais se podem acrescentar legendas ou se recomendar a leitura do conteúdo por escrito).
  10. Adapte ou substitua atividades que exijam muito do sentido auditivo do estudante, como prova oral, por exemplo.

A inserção do deficiente auditivo na escola não é tarefa fácil e deve ser planejada que haja o desenvolvimento global do aluno. A efetivação desse desafio é responsabilidade de todos, pais, profissionais e professores, cada qual exercendo seu papel para que objetivos maiores sejam alcançados.

 

Deixe um Comentário