Artigos Audição Infantil

Meu filho usa aparelhos auditivos, ele vai falar?

Meu filho usa aparelhos auditivos, ele vai falar?
Luciana Garolla
Escrito por Luciana Garolla

Meu filho usa aparelhos auditivos, ele vai falar? 

Meu filho usa aparelhos auditivos, ele vai falar? Essa dúvida é bastante comum e pode gerar muita ansiedade em pais de crianças com deficiência auditiva. E a resposta para esta questão é: se a criança não tiver qualquer outro problema e se todos os esforços necessários para que ela tenha acesso aos sons da fala (via aparelhos auditivos ou IC), e seja estimulada para desenvolver suas vias auditivas sejam feitos, sim, essa criança aprenderá a ouvir e irá falar. Mas vamos entender o que isso tudo quer dizer?  

1) Ouvimos com o cérebro. Então devemos iniciar o uso de aparelhos auditivos o mais rápido possível. 

Falamos porque ouvimos. Só falamos Português porque ouvimos essa língua desde o nascimento e aprendemos a dar sentido às palavras. Logo, quanto mais cedo a criança com perda auditiva começar a ouvir os sons da fala através de seus aparelhos auditivos, maiores serão suas chances de aprender a falar. Não existe “muito cedo” quando se trata de iniciar o uso de aparelhos auditivos. Se a criança não escuta bem, ela precisa usar os aparelhos desde bebê.  Mas existem também outros fatores, como por exemplo o grau da surdez. Ela não é igual para todos e diferentes graus de perda de audição exigem diferentes níveis de atenção e esforços para o desenvolvimento da fala. O importante é começar a estimulação auditiva o mais cedo possível, para que o cérebro comece logo a dar significado aos sons e a criança passe a repeti-los com naturalidade. Sem acesso aos sons da fala não há como aprender a falar; sem estimulação (reabilitação) adequada também não! 

2) A criança precisa aprender a ouvir. 

Sim, parece estranho, mas é verdade. A criança precisa aprender a ouvir para depois falar. Para nós, que temos audição normal, ouvir é um ato involuntário, mas para quem tem deficiência auditiva não. Exige esforço e atenção! Como os sons da fala podem estar muito baixos para que a criança os escute sem os aparelhos, ela simplesmente não sabe que eles existem (mesmo que escute alguns deles) e acha que o mundo sonoro é formado apenas pelos sons mais altos/que ela consegue ouvir. Daí tantas trocas na fala – falamos porque escutamos certo? E se escutamos “errado” falamos errado também 🙂 Então, quando ela inicia o uso dos aparelhos auditivos e começa a ouvir, ela tem que aprender a identificar os sons da fala, que antes ela não ouvia,  em meio a tantos outros para só então passar a repeti-los. E daí a importância da terapia/reabilitação. É mais ou menos como quando aprendemos uma outra língua. Todos nós ouvimos os sons do inglês, não é mesmo? Mas não entendemos nada. Precisamos de alguém que nos ensine o significado de todo aquele amontoado de palavras, que não conseguimos distinguir. É esse o objetivo da terapia. Ajudar a criança a ouvir e compreender as palavras.  E imagina agora a dificuldade de entender quando falamos rápido demais ou no barulho? Todo esse aprendizado leva tempo e requer esforço.  Então tenha paciência e muita persistência. 

3) O maior aprendizado acontece em casa. 

Se você quer que seu filho fale, então fale com ele. O tempo todo. Revele o radialista que existe em você e faça a narração de todos os acontecimentos do dia. Fale onde vocês vão, o que vocês vão fazer, explique tudo, várias vezes, como num filme com legendas. E principalmente, fale sobre o aqui e o agora! Não adianta nada fazer a terapia 2x/semana, durante 45 minutos e o resto do tempo você em casa mal falar com a criança.  *Estudos mostram que uma criança ouvinte é exposta a 46 milhões de palavras até os 4 anos. E que esta exposição é crucial para o desenvolvimento da fala. Então, faça a sua parte para tirar esse atraso e não permita que essa distância aumente com o tempo. Fale, fale, fale !!  

4) Não é porque seu filho está usando aparelhos auditivos que ele está ouvindo a fala. 

Eu sei. Já falei isso antes. Mas este ponto é crucial. Se seu filho usa aparelhos auditivos você precisa ter certeza de que estes aparelhos estão tornando a fala audível para ele. E isso só é possível de uma forma: através do Mapeamento de Fala. E não, não existe outro teste que faça isso. O Mapeamento de Fala avalia se os aparelhos estão realmente cumprindo a função deles, que é a de aumentar os sons da fala. Sem essa avaliação é impossível garantir acesso a esses sons, considerando a perda de audição e idade da sua criança. Se seu filho usa aparelhos auditivos e você quer que ele aprenda a falar, agende a avaliação dele agora mesmo! 

 

*Hart, B., & Risley, T.R. (1999). The social world of children learning to talk. Baltimore: Brookes. 

 

Meu filho usa aparelhos auditivos, ele vai falar?

Meu filho usa aparelhos auditivos, ele vai falar?

Deixe um Comentário